(+258) 21 304 681 info@msumbiji.co.mz

Petrolífera está em consórcio com a italiana ENI no projecto de prospecção de petróleo ao largo de Sines.

A Galp pretende avançar com o primeiro poço exploratório na costa alentejana no Verão, anunciou esta terça-feira o administrador da Galp com o pelouro da área de produção e exploração, Thore E. Kristiansen, na apresentação do Dia do Investidor da Galp.

A empresa está no projecto, a 80 quilómetros ao largo de Sines, em consórcio com a italiana ENI, que é maioritária, com 70% da operação. O anterior presidente da Galp, Manuel Ferreira de Oliveira, avaliou em mais de 100 milhões de dólares o investimento de prospecção, que disse ter uma “probabilidade de sucesso inferior a 20%”

Inicialmente, a Galp era parceira da Petrobras neste projecto, mas, em 2013, a empresa brasileira desistiu das operações em Portugal abandonando os 50% que detinha em projectos de exploração em parceria com a Galp em Peniche e no Alentejo.

Durante vários meses, a Galp procurou um parceiro para partilhar o risco da exploração de petróleo na bacia do Alentejo (em Peniche foi a Repsol que assumiu o papel de operadora), porém, teve de garantir que o anterior Governo lhe prolongasse o prazo de concessão.

O acordo com a ENI, bem como a extensão do prazo da concessão, foram anunciados em Dezembro de 2014.

As três concessões da bacia do Alentejo – Lavagante, Santola e Gamba – abrangem uma área total de aproximadamente 9100 quilómetros quadrados.